Aqui Você Ver Tudo Que Acontece No Mundo Do Futebol

Páginas

Relogio

segunda-feira, 2 de março de 2015

Muralha amarela no caminho: Real tenta, tenta, mas empata com Villarreal

cristiano ronaldo real madrid x  Villarreal (Foto: Reuters)
O Real Madrid bem que tentou. Principalmente quando Bailly começou a falhar e Cristiano Ronaldo aproveitou as bobeiras do zagueiro. Mas nem o gol de pênalti de CR7 ajudou os merengues a vencerem o Villarreal no Santiago Bernabéu na tarde deste domingo, pela 25ª rodada do Campeonato Espanhol. Asenjo pegou tudo que podia, e Vietto entrou no segundo tempo para dar o passe para Gerard Moreno empatar: 1 a 1.  

Com o resultado, o Real vê a diferença para o vice-líder Barcelona cair de quatro para dois pontos, já que o rival venceu o Granada no sábado por 3 a 1. O Villarreal segue em sexto, agora com 45 pontos, e se prepara para pegar o Barça no meio de semana pela semifinal da Copa do Rei. O Real terá uma semana pela frente para se preparar para o jogo contra o Atlhetic Bilbao.

Antes e a bola rolar, uma inspiração para o time de Ancelotti. Campeão da Copa do Rei sobre o Barcelona, a equipe de basquete foi homenageada em campo e houve troca de cumprimentos entre os jogadores das duas modalidades esportivas. 


O Villarreal, porém, estava disposto a dificultar a vida madrilenha. Suportou os 10 chutes do adversário no primeiro tempo. Bale mandou no travessão, Cristiano Ronaldo arriscou, os zagueiros completaram alguns escanteios... e nada de a rede balançar. Para piorar, Gerard Moreno teve uma chance clara. Casillas defendeu. Na sequência, Moi Gómez tinha tudo para marcar, mas Carvajal tirou de cabeça em cima da linha. 

O muro amarelo parecia intransponível. Mas o jovem de 20 anos Eric Bailly começou a fraquejar. Cristiano Ronaldo aproveitou. Primeiro em um lance infantil, quando o zagueiro agarrou CR7 na área. Na cobrança do pênalti, o atacante abriu o placar. Foi a única vitória no duelo contra o goleiro Asenjo. Duas vezes cara a cara e em uma finalização de cabeça, o melhor do mundo parou nas boas defesas. E quando Asenjo saiu mal do gol, Jesé mandou para fora. 

Marcelino García, que optou por poupar seis dos seus titulares para o jogo contra o Barcelona no meio de semana, pela semifinal da Copa do Rei, mexeu. Colocou em campo Vietto no lugar do apagado Giovani dos Santos. Funcionou: o artilheiro do time tabelou com Gerard Moreno, que acertou o canto para empatar. Vietto quase virou, mas o escorregão já na área, quando estava livre, o traiu. Teve nova chance, e desta vez Casillas salvou. E os goleiros, em um fim de jogo corrido, viraram os protagonistas do empate no Santiago Bernabéu. 

Suárez volta a decidir, Barcelona se recupera e retoma caça ao Real Madrid

Depois de marcar os dois gols da vitória sobre o Manchester City, no meio de semana, Luis Suárez reconduziu o Barcelona ao caminho das vitórias no Campeonato Espanhol. Neste sábado, em visita ao Granada, o uruguaio voltou a decidir e foi um dos destaques do triunfo por 3 a 1.
O atacante deixou sua marca, com o segundo gol do jogo, e ainda participou da jogada dos outros dois, anotados por Ivan Rakitic (outro destaque individual da partida) e Lionel Messi. O Granada, que saiu perdendo por 2 a 0, foi às redes com Fran Rico, cobrando pênalti.
Neymar, que já tinha não ido bem no jogo de ida das oitavas de final da Uefa Champions League, teve outra atuação abaixo das expectativas. Seu principal momento no jogo foi o cartão amarelo recebido por falta em Nyom, que o vai tirar da partida contra o Rayo Vallecano.
Em geral, o Barcelona demorou a engrenar neste sábado. Com Lionel Messi sendo bem marcado, o primeiro bom momento de ataque demorou 23 minutos para acontecer, com um chute de fora da área de Xavi. No minuto seguinte, porém, os catalães tomariam a dianteira do marcador.
Suárez recebeu na área pela esquerda, mas bateu mal. O chute passaria direto em frente à meta do goleiro Oier, mas Juan Cala tentou cortar e acabou deixando a bola limpa para Rakitic, que apareceu quase na pequena área, com o gol aberto, para estufar as redes.
Pouco depois, aos 35, o meia croata voltou a aparecer, servindo Messi, que quase marcou um golaço. A grande chance de as redes voltarem a balançar no primeiro tempo, porém, foi do Granada, aos 41, quando Iturra exigiu uma ótima defesa de Bravo, em chute no canto esquerdo.
Ao contrário da etapa inicial, o segundo tempo começou com tudo. Logo aos três minutos, Rakitic deu belo passe para Suárez, que tocou com categoria para fazer 2 a 0. Aos seis, veio a resposta. Bartra cometeu pênalti, e Fran Rico converteu, batendo no canto esquerdo do goleiro do Barça.
O primeiro gol animou os anfitriões, mas logo o ímpeto diminuiu. Aos 25 minutos, as chances de reação acabaram de vez com o terceiro tento do Barcelona, em outra jogada da dupla Rakitic-Suárez. O meia lançou o uruguaio, que tirou o goleiro e rolou para Messi, impedido, apenas conferir.
Com o resultado, o Barcelona chega aos 59 pontos e volta a ficar a um ponto do Real Madrid, que ainda joga nesta 25ª rodada, contra o Villarreal. Já o Granada segue na zona de rebaixamento, com só 19 pontos. Na próxima jornada, os times voltam a campo, respectivamente, contra Rayo e Málaga.

Zidane pressiona para que contratem Pogba

Zidane quer Pogba no Real Madrid e pressiona cada vez mais o clube para que avance para a contratação, segundo avança este sábado o "As".

O francês há meses que anda a insistir junto de Florentino Pérez na necessidade de garantir o médio. Terá mesmo telefonado várias vezes ao jogador para perceber qual a sua disposição em deixar a Juventus - com quem tem contrato até 2019 - e voar rumo ao Real Madrid a troco de um vencimento galático. “É um jogador especial", refere Zidane.

Para além de Real Madrid, Manchester United e PSG, também surgiram notícias sobre o interesse do Barcelona, daí Zidane ter reforçado que é essencial avançar rapidamente para esta aquisição.

Botafogo vence o Flamengo com "falha" de Paulo Victor

Botafogo venceu o Flamengo por 1 a 0, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca (Marcelo Cortes / Fotoarena)
Com um gol marcado por Tomas, em bola que bateu na trave e no goleiro Paulo Victor antes de entrar aos 37 minutos do segundo tempo, o Botafogo derrotou o Flamengo por 1 a 0, no clássico disputado na tarde deste domingo, no Maracanã e que foi incluído nas festividades pelos 450 anos de fundação da cidade do Rio de Janeiro.
O jogo foi disputado com muita intensidade pelas duas equipes. O Flamengo foi bem melhor no primeiro tempo,mas esbarrou na grande atuação do goleiro Jefferson. Já o Rubro-negro da Gávea caiu de produção após as substituições efetuadas por Vanderlei Luxemburgo e acabou superado pelo tradicional adversário. O jogo que marcou a despedida oficial do lateral-direito Léo Moura representou a primeira derrota da equipe da Gávea na atual temporada.
O resultado fez a equipe alvinegra reassumir a liderança do Campeonato Carioca com 19 pontos ganhos. O Flamengo caiu para a quarta posição, com 14 pontos ganhos. Na próxima rodada, o Botafogo enfrentará o Fluminense,no Maracanã. O Flamengo vai receber o Friburguense,em local a ser definido.
O jogo - O Flamengo começou a partida com maior disposição ofensiva. Marcelo Cirino caía sempre pela direita para tabelar com Léo Moura e criava situações de perigo.Aos três minutos, Renan Fonseca falhou e Cirino investiu pela direita,mas o cruzamento saiu forte demais e não foi alcançado por Alecsandro.
O Botafogo não conseguia trocar três passes no campo ofensivo e seus zagueiros eram obrigados a recorrer a lançamentos, facilmente bloqueados pela zaga rubro-negra. Só aos dez minutos é que o Botafogo chegou na área rubro-negra em cobrança de falta executada por Carleto e facilmente defendida por Paulo Victor. No minuto seguinte, Canteros fez ótimo lançamento para Marcelo Cirino,mas o atacante falhou ao tentar dominar,na grande área.
Aos 13 minutos, após cobrança de falta, Jefferson saiu com precisão para tirar a bola da cabeça de Alecsandro. A sobra ficou com Gabriel que bateu de primeira,mas a bola saiu. Aos 15 minutos. o zagueiro Samir sentiu uma lesão na coxa direita ao saltar para disputar a bola com Bill e precisou ser substituído. Saiu chorando e Bressan entrou em seu lugar.
O time dirigido por Vanderlei Luxemburgo continuava melhor, marcando a saída de bola do adversário, e o goleiro Jefferson teve que sair,outra vez,na cabeça de Alecsandro para evitar que o atacante rubro-negro chegasse à bola. O Flamengo seguia explorando as extremas com Marcelo Cirino e Gabriel que impediam os avanços dos laterais alvinegros.
Depois da parada técnica, o Botafogo chegou ao ataque com um chute longo de Tomas que não levou perigo para Paulo Victor. O Flamengo voltou a ameaçar aos 27 minutos quando Cirino lançou Alecsandro que teve o chute desviado por Roger Carvalho.
O técnico Renê Simões decidiu alterar a equipe e trocou o meia Diego Jardel,desaparecido no jogo, pelo atacante Sassá. E a produção melhorou. Aos 33 minutos, depois de boa troca de passes no campo ofensivo, Willian Arão bateu de fora e Paulo Victor defendeu com segurança. Logo depois, o mesmo Arão recebeu uma bola perdida na entrada da área rubro-negra e chutou,de primeira,mas a bola subiu demais.
A resposta do Flamengo veio com Marcelo Cirino que se aproveitou da indecisão da defesa botafoguense para concluir,mas a bola saiu fraca e Jefferson fez a defesa. Aos 42 minutos, Carleto bateu falta e Paulo Victor defendeu sem problemas.
O Flamengo voltou para o segundo tempo com o meia Arthur Maia no lugar do atacante Gabriel. E aos três minutos, Arthur Maia fez ótimo cruzamento para a entrada de Márcio Araújo,mas Jefferson saiu na cabeça do rubro-negro e evitou a conclusão.
A resposta do alvinegro veio com Jobson que invadiu pela direita e chutou cruzado para boa defesa de Paulo Victor. E o Botafogo criou sua primeira grande chance aos nove minutos quando Tomas entrou pelo meio e tocou no canto. Paulo Victor conseguiu salvar parcialmente e Léo Moura salvou, mandando para escanteio.
As substituições diminuíram o ritmo do Flamengo e fizeram o Botafogo equilibrar a partida. Aos 19 minutos, Gilberto foi lançado na área, a zaga do Flamengo falhou e o lateral bateu cruzado,para fora, desperdiçando uma grande oportunidade.
O jogo esquentou quando Gilberto acertou Arthur Maia e os jogadores das duas equipes se desentenderam. Bressan chegou a cair no chão, mas os ânimos acabaram serenados. Aos 26 minutos, Diego Giaretta tentou o recuo de cabeça e quase coloca no ângulo direito,mas Jefferson,de forma magnífica,evitou o gol contra,espalmando para escanteio.
O Flamengo voltou a dominar e o Botafogo apenas tentava bloquear as investidas do adversário. O Botafogo voltou a incomodar aos 36 minutos quando Carleto bateu falta e a bola se chocou com o travessão.
E o time alvinegro marcou o primeiro gol aos 37 minutos. Tomas chutou forte, a bola tocou na trave direita, bateu em Paulo Victor,parado no centro, e entrou.
Desesperado, o Flamengo partiu com tudo para buscar o gol dos empate,mas o Botafogo ainda teve a chance de marcar o segundo, quando Gegê cobrou falta no travessão.

No 'clássico da paz', Inter e Grêmio decepcionam e não saem do zero

O ‘clássico da paz' no Campeonato Gaúcho terminou empatado em 0 a 0 neste domingo, no Beira-Rio. Internacional e Grêmio até tiveram algumas chances para marcar, mas os setores ofensivos não conseguiram superar as marcações rivais. Assim, o primeiro clássico que contou com torcida mista não deixou ninguém plenamente satisfeito.
Apesar de todas as tentativas para a realização de um clássico pacífico, alguns torcedores entraram em conflito nos arredores do estádio Beira-Rio, antes de a bola rolar. Gremistas e colorados atiraram pedras e outros objetos uns nos outros, gerando confusão e correria. Dentro do estádio, torcedores gremistas depredaram alguns banheiros.
O Internaconal teve mais a bola no jogo, mas raramente conseguiu se desencaixar da marcação do Grêmio, que criou uma série de chances nos últimos minutos do primeiro tempo e, no resto da partida, limitou-se a proteger a área de Marcelo Grohe à espera de um contra-ataque que não se acertou. Assim, o Gre-Nal 404 terminou sem redes balançadas.
Com a igualdade deste domingo, o Internacional chega aos 13 pontos no Estadual, no quarto lugar, um ponto atrás do líder São José-RS. Já o Grêmio, com 11 pontos, é o oitavo colocado, ainda na zona de classificação para a próxima fase.
Na próxima rodada do Campeonato Gaúcho, o Grêmio recebe o Caxias no sábado, enquanto o Internacional visita o Juventude no domingo, no Alfredo Jaconi. Pela Copa Libertadores, o Inter recebe o Emelec na quarta-feira.
O jogo
Diego Aguirre resolveu apostar na movimentação para vencer seu primeiro clássico como técnico do Inter e armou o time baseando-se na correria de Valdivia e Nilmar, com Anderson encostando e Alex buscando a bola na defesa. E foi na vontade que os anfitriões conseguiam se aproximar da área, já que pouco havia espaço para os laterais subirem.
Luiz Felipe Scolari optou por estratégia oposta. Preencheu o meio-campo com três volantes, apostou em laterais marcadores como Matías Rodriguez e Marcelo Oliveira para bloquear a área de Marcelo Grohe e apostava na qualidade do passe de Douglas para acionar a velocidade de Yuri Mamute e Lincoln.
Neste posicionamento tático, os primeiros minutos foram de Valdivia, que pedia a bola e não parava de correr. Chamou tanta atenção que abriu espaço para que Cláudio Winck tivesse a sua grande oportunidade de cruzar, colocando a bola na cabeça de Nilmar, mas o atacante desviou fraco, para fora, aos 13 minutos.
Do outro, Felipão se irritava com passes curtos e fraco de Douglas nas chances do Tricolor de contra-atacar. Era o que faltava para o time, que tinha encaixado o setor ofensivo colorado em sua marcação e só sofreu perigo em cobrança de escanteio fechada de Valdivia que não virou gol olímpico graças a Marcelo Grohe, aos 30 minutos.
Quando Araújo se soltou para ajudar o sumido e bem marcado Douglas, com subidas mais frequentes de Fellipe Bastos, o Grêmio saiu da defesa e quase foi para o intervalo vencendo. Entre os 35 e os 41 minutos, explorando as costas de Cláudio Winck, Lincoln parou duas vezes em Alisson, que também salvou gol de Yuri Mamute e torceu na cobrança de falta de Fellipe Bastos que passou rente à trave.
Para o segundo tempo, Scolari entendeu que Douglas precisava de ajuda e trocou Araújo por Giuliano, na esperança de mais qualidade nos contra-ataques. Aguirre, por sua vez, aumentou a velocidade do setor ofensivo, trocando Valdivia por Vitinho, e impondo maior movimentação a Nilmar para fazer o Inter jogar.
Na prática, Giuliano foi mais um marcando e não apareceu como desejava seu técnico. O Grêmio se limitou a manter o bloqueio às laterais e na entrada da grande área, à espera de um contra-ataque, enquanto o Inter passou todo o segundo tempo buscando um espaço para finalizar. Só conseguiu cabeçada de Paulão que parou em Marcelo Grohe, já aos 40 minutos do segundo tempo. O clássico terminou sem gols.
FICHA TÉCNICA:
INTERNACIONAL 0 X 0 GRÊMIO
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS) 
Data: 1º de março de 2015, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília) 
Árbitro: Jean Pierre Lima (RS) 
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Marcelo Barison (ambos de RS) 
Cartões amarelos: Paulão, Cláudio Winck e Geferson (Inter); Marcelo Oliveira, Giuliano, Yuri Mamute e Matías Rodriguez (Grêmio)
INTERNACIONAL: Alisson Becker; Cláudio Winck, Paulão, Juan e Geferson; Nicolás Freitas, Rodrigo Dourado, Anderson (Alisson Farias) e Alex (Luque); Valdivia (Vitinho) e Nilmar
Técnico: Diego Aguirre
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Matías Rodríguez, Rhodolfo, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Fellipe Bastos, Araújo (Giuliano) e Douglas; Lincoln e Yuri Mamute (Everaldo)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Após poupar, técnico do Sport elogia Vitor e descarta contratação: "Está numa crescente"


Na primeira derrota do Sport no Campeonato Pernambucano,Danilo atuou na lateral direita durante todo o primeiro tempo. Foi uma solução emergencial, já que Alex Silva, que estava relacionado para a partida, sentiu uma lesão e foi vetado pelo Departamento Médico. Mas ao invés de substituí-lo por Vitor, nativo da posição, o técnico rubro-negro preferiu improvisar o seu coringa, só para não desgastar o lateral direito antes da partida decisiva contra o Socorrense, na próxima quarta-feira. Sinal de que o setor começa, enfim, a ter um dono na atual temporada.

Foi o que deixou a entender o próprio Eduardo Baptista. Justificando sua opção por Danilo, o treinador afirmou que seu pensamento era de poupar Vítor pelo menos por 45 minutos, adiantando que ele será titular no jogo decisivo pela Copa do Nordeste. “Eu não quis colocar o Vítor para jogar os 90 minutos. Ele tinha corrido bastante no último jogo, e preciso dele na quarta-feira. Danilo era o único lateral que eu tinha e eu coloquei ele na lateral direita”, explicou.

Reforçando ainda mais a impressão de que Vitor parece mesmo ter agarrado o colete de titular, o técnico rechaçou que esteja à procura de reforços para a posição, e disse que vai dar tempo e oportunidades para os dois laterais direitos do elenco. “Dá para tocar (sem reforços). Se eu pedir com urgência, não tem lateral direito no mercado. Não adianta pressionar a diretoria, temos que buscar soluções no nosso elenco. Vitor está numa crescente boa e quando ele não puder jogar, a gente achar a melhor peça para suprir”, declarou.

Últimas chances
Vitor está crescendo de produção num momento decisivo para a sua continuidade no Sport. Com contrato encerrando em maio, o jogador corre também em busca de uma renovação, e já parece ter colocado no banco Alex Silva, que veio emprestado pelo Atlético-MG para substituir Patric. A lateral direita é uma das posições em que o Leão teria interesse em se reforçar antes do início do Brasileirão.


Grêmio ganha moral no Gre-Nal e volta a falar em time no 'caminho certo'

Grêmio de Rhodolfo se encheu de motivação após segurar o Inter no Beira-Rio
No placar não houve vencedor, mas o Grêmio também de mãos abanando do estádio Beira-Rio. Após empatar com o Internacional, o time comandado por Felipão pareceu nitidamente mais animado. A empolgação é reflexo de um resultado obtido diante de previsões pessimistas, de questionamentos sobre a qualidade do grupo mesmo contra uma formação reserva do arquirrival. Resultado: outra vez o tricolor se vê no caminho certo.
Para Luiz Felipe Scolari, os últimos jogos mostraram evolução. Mesmo que o time tenha apenas quatro vitórias em 11 partidas disputadas na temporada – incluindo amistosos. A sequência atual é de três jogos sem derrota.
"Entendo que nos últimos três ou quatro jogos nós evoluímos. Está um pouco mais difícil, mas o caminho está sendo razoavelmente bem traçado", disse Felipão. "Se eu fosse fazer uma avaliação, diria que foi bom. Não posso dizer que foi muito bom e nem razoável", completou.
Se a vitória redentora e que seria injeção completa de gás não veio, a solidez defensiva criada por meio de uma retranca foi o ponto alto do Grêmio no clássico. Tão disciplinado e ligado em sua proposta, o tricolor até teve mais chances de gol que o Inter e engrossou o fio de esperança sobre o futuro do seu time.
"Eu esperava a vitória. Provamos em campo que poderíamos ter vencido. O empate teve um certo tom de justiça mas com um gostinho de quero mais. O Gremio já mostrou um posicionamento de time. Estamos evoluindo quanto time, taticamente se colocou muito bem, o que foi combinado foi atendido, tivemos uma equipe disciplinada", elogiou o presidente Romildo Bolzan Jr.
O desafio do Grêmio com moral é conseguir prosseguir na evolução. Na próxima rodada do estadual, o time recebe o Caxias na Arena. Lá a equipe não vence há três jogos e precisará mudar de papel no confronto: deixar de ser quem espera um ataque para assumir o posto de quem ataca.