Tudo Sobre Futebol

Tudo Sobre Futebol
...

Páginas

domingo, 23 de março de 2014

Com dois gols de Oscar, Chelsea aplica goleada histórica sobre o Arsenal

Levando em conta a tabela de classificação do Campeonato Inglês desta temporada, a expectativa era de que Chelsea e Arsenal protagonizassem duelo equilibrado neste sábado, no Stamford Bridge, em partida válida pela 31ª rodada da competição nacional. Entretanto, o que se viu foi um massacre da equipe da casa, que marcou três gols nos primeiros 16 minutos e acabou goleando por 6 a 0, a maior vitória de sua história sobre o rival.
No embate deste final de semana, Samuel Eto’o abriu o placar logo aos cinco minutos. Dois minutos mais tarde, quem balançou as redes foi o alemão André Schurrle. O terceiro saiu aos 16 minutos, em lance bizarro. Alex Oxlade-Chamberlain fez ‘grande defesa’ em chute de Eden Hazard. O árbitro Andre Marriner marcou pênalti, que foi convertido pelo próprio atleta belga, mas expulsou erroneamente o lateral esquerdo Kieran Gibbs pela infração.
Ainda no primeiro tempo, houve tempo para o brasileiro Oscar, aos 42 minutos, transformar o marcador em goleada. Na etapa complementar, novamente o camisa 11, aos 16 minutos, e seu substituto, Mohamed Salah, aos 26 minutos, deram números finais ao jogo e definiram o massacre.
Com este resultado, o Chelsea segue na primeira colocação na tabela de classificação do Campeonato Inglês, agora com 69 pontos. O Liverpool, com 62 pontos e dois jogos a menos, é o vice-líder, seguido pelo Arsenal, que tem uma partida a menos do que o líder. O Manchester City, com apenas 27 jogos, fecha a zona de equipes garantidas momentaneamente na próxima edição da Liga dos Campeões da Europa, com 60 pontos.
A equipe comandada pelo treinador José Mourinho volta a entrar em campo no próximo sábado, às 12 horas (de Brasília), quando mede forças com Crystal Palace, no Selhurst Park. O Arsenal, por sua vez, enfrenta o Swansea City nesta terça-feira, às 16h45 (de Brasília), no Emirates Stadium.
O jogo
Sem contar com os meio-campistas brasileiros Ramires e Willian, que cumprem suspensão por receber cartão vermelho, o técnico José Mourinho escalou o zagueiro David Luiz como volante e optou por Andre Schurrle para compor o lado direito do setor ofensivo do Chelsea. E, logo no início do duelo, a equipe da casa mostrou que o português havia feito as escolhas corretas.
Em começo de jogo bastante movimentado, o time anfitrião até chegou a ser ameaçado em finalização de Oliver Giroud. Entretanto, a resposta foi imediata e, aos cinco minutos, o centroavante Samuel Eto’o recebeu assistência de Schurrle em rápido contra-ataque e abriu o placar. Dois minutos mais tarde, foi o próprio meio-campista alemão, em outra jogada de velocidade, quem ampliou a vantagem em campo.
Apoiado pela torcida e superior em campo, o Chelsea deixava claro que o terceiro gol surgiria em breve. Com boa movimentação de seus homens de criação, incluindo o brasileiro Oscar, a equipe comandada por Mourinho dominava as ações do jogo e acuava o Arsenal, que evidenciava sentir falta de Mesut Ozil (lesionado) no setor de armação e pouco perigo oferecia ao rival.
Autor do primeiro gol, Eto’o precisou deixar o campo aos dez minutos por causa de problemas musculares. Em seu lugar, entrou Fernando Torres. A substituição, porém, não alterou o ritmo de jogo dos donos da casa, já que o espanhol manteve o nível e foi acionado constantemente por seus companheiros de meio-campo.
Aos 16 minutos, o Chelsea chegou ao seu terceiro gol em lance bizarro. Eden Hazard invadiu a área e, de perna direita, arrematou com segurança. Quando a bola estava entrando, o meio-campista Alex Oxlade-Chamberlain deu belo salto e, quase em cima da linha, espalmou com a mão esquerda. Pênalti para os anfitriões. Confuso, o árbitro Andre Marriner acabou expulsado o lateral esquerdo Kieran Gibbs, que nada havia feito. Sem querer saber da troca, o próprio atleta belga deslocou Szcesny na cobrança.
Depois do gol de Hazard, o time de Stamford Bridge seguiu dominando o rival, mas diminuiu a intensidade de suas ações no campo ofensivo. O treinador Arsene Wenger, por sua vez, tentou corrigir as falhas defensivas colocando o zagueiro Vermaelen na vaga do atacante Lukas Podolski. O meio-campista Oscar, porém, não queria saber de dar mínimas chances ao rival e, aos 42 minutos, invadiu a área e concluiu sem dificuldades passe de Fernando Torres, dando números finais a etapa inicial.
Na volta dos vestiários, o técnico francês ainda tentou reverter a situação e promoveu as entradas de Flamini e Jenkinson, tirando Oxlade-Chamberlain e Koscielny, respectivamente. Contudo, quem marcou novamente foi o Chelsea. Em seu último lance na partida, aos 19 minutos, Oscar arrematou de fora da área e aproveitou falha de Szcesny. Na sequência, foi substituído por Mohamed Salah, responsável por marcar o gol que, aos 26 minutos, encerrou a contagem no placar.
Com este resultado, o Arsenal sofre sua segunda goleada em pouco mais de um mês, já que havia sucumbido por 5 a 1 diante do Liverpool, em 8 de fevereiro, no Anfield Road. Além disso, Wenger acaba derrotado no dia em que celebra mil partidas pela equipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário